Em meio a Pandemia, adote uma fada madrinha!

Contribuição da Co11ectada Carolina Abdalla

Este texto não vai trazer nenhuma tecnologia nova ou prática, nem falar sobre metodologia ou narrativa. O objetivo, aqui, é falar sobre estratégias de superação.

A atividade do professor da EaD faz dele um professor ator. Pelo menos é assim que eu chamo o docente que atua com a educação on-line pelas tantas outras competências que precisa desenvolver em um cenário de mudanças necessárias para a educação.

A relação estudante-professor e tudo que está relacionado a ela é a minha grande inspiração nesses doze anos de carreira acadêmica. E vou contar uma história que representa muito bem a importância desse tema…

Em todas as salas de aulas que atuei, seja na modalidade on-line ou presencial, sempre teve aquele estudante que queria mais, que se apresentava com um sorriso no rosto e que fazia valer a pena se colocar na linha de frente como professor, compartilhar e querer aprender mais. Assim que a faculdade onde trabalhava implantou o modelo a distância para 20% da carga horária dos cursos presenciais, atuei como tutora. Um estudante me marcou, porque mandava perguntas e nesse vai e vem, uma delas foi que ele iria para uma cirurgia muito arriscada e qualquer que fosse o resultado, ele queria me agradecer por tanto que contribui para o seu desenvolvimento. Ele retornou da cirurgia bem e continuou seus estudos comigo, ainda mais próximo, mesmo sem nunca a gente ter se conhecido.

Já numa outra IES e no modelo presencial, com o objetivo de inovar e aplicar o que estava aprendendo sobre metodologia ativa, numa determinada disciplina fiz roda de debates programados, gamificação e pouca aula instrucional. Logo no primeiro dia de aula, uma aluna veio me pedir para se ausentar e procurar a enfermaria. Poxa vida! Claro! E, no final da aula fui acompanhá-la. Ela me disse que era muito tímida, que estava com síndrome do pânico e esse modelo de roda a colocava muito acessível, visível. Sentamos e conversamos longamente sobre quais estratégias poderíamos usar e todo o semestre fui observando um esforço e uma alegria a cada conquista. No final do semestre, a evolução que ela teve na relação com as pessoas, na desenvoltura para expressar suas ideias foi algo incrível. Ah! Se ela soubesse o quanto me fez acreditar ainda mais nas metodologias inovadoras…

Naquela famosa votação de representante de classe, um dos estudantes mais tímidos da turma se candidatou e disse: “tenho dificuldade na comunicação com o público e preciso exercitar”. Com essa ousadia, ele ganhou a todos. Aproveitei essa disponibilidade que estava em aprender e propus que ele escolhesse uma aula do semestre para trabalhar comigo e apresentasse um pedaço dela. Mesmo que eu tivesse notado uma grande satisfação e empolgação do seu “sim”, achei muito estranho sua demora para me apresentar o que havíamos combinado. E mais uma vez fui surpreendida! Como ele tinha fluência em japonês e inglês, enviou e-mail para várias professores de universidades no exterior dessa disciplina para perguntar como eles abordavam o tema e suas práticas. Como não amar a minha profissão depois de um resultado desse? Para mim, era claro que estava fazendo a diferença na vida dele. Mas, será que ele também sabe o quanto fez diferença na minha vida?

Para finalizar, quero contar daquela sala de aula do curso de Administração, primeiro semestre. Ah! Quem já ministrou aula para esse curso sabe do que eu estou falando: sobre o número de alunos e aquela ansiedade da adolescência.

Eu e meus alunos do primeiro semestre do curso de AdministraçãoLogo no início, parecia que minha fala não estava surtindo efeito e tinha pouca adesão da classe. Mas, logo apareceu um sorriso tão grande que me inspirou para fazer todo aquele semestre valer a pena. Aquele sorriso fez eu confiar tanto em mim que consegui fazer roda de conversa, dinâmica no ginásio de esportes, atividades em diversos espaços da faculdade e com muita participação de todos.

Se meus alunos soubessem como eles realizaram o meu sonho, como eles me estimularam para me tornar a minha melhor versão.

Por isso, nessa pandemia, adote um aluno que possa ser sua fada madrinha e ajudá-lo a superar as dificuldades e surpresas que a tecnologia, a aula remota e o on-line podem trazer.

Vamos superar juntos e com uma educação de qualidade.


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.