Microlearning e metodologias ágeis para cursos via WhatsApp

Este artigo, de autoria das professoras Renata Costa e Marilene Garcia, trata do uso do WhatsApp como ferramenta educacional. Para as autoras, o aplicativo pode ser bem aproveitado em cursos ou aulas para um processo de ensino e aprendizagem de qualidade, desde que sejam fundamentados em três conceitos: microlearning, metodologia ágeis e objetivos de aprendizagem claros. Saiba mais!

“A curadoria também envolve autoria”

No último episódio da websérie SOS RH: a vez da Educação Corporativa, Andrea Filatro falou sobre produção de conteúdos no contexto organizacional, em especial sobre o design instrucional, também conhecido pelo termo DI. E como nos demais episódios, a palavra curadoria foi destaque na conversa:
“A curadoria não é só um acúmulo de referências externas. Envolve, também, um trabalho de autoria que é você dar sentido a esse material disponível na web”. Confira!

Cultura de aprendizagem nas organizações

No terceiro episódio da websérie SOS RH: a vez da Educação Corporativa, Conrado Schlochauer falou sobre o desafio de desenvolver a cultura de aprendizagem nas organizações. O especialista destacou que 84% das pessoas que participam de algum programa de treinamento nas empresas não têm melhoria de performance. Ou seja, os treinamentos não geram aprendizado!

Edutainment na Educação Corporativa

No segundo episódio da websérie SOS RH: a vez da Educação Corporativa conversamos com Richard Uchoa Vasconcelos, CEO da LEO Learning Brasil, sobre as principais tendências em Educação Corporativa no Brasil, em especial neste momento de isolamento social. Confira!

O papel do curador na construção de trilhas de aprendizagem

No primeiro episódio da Websérie SOS RH: A vez da Educação Corporativa, Pedro Carbone explicou o papel do curador de saberes na construção de trilhas de aprendizagem e como isso está atrelado aos modelos de gestão por competência e gestão do conhecimento. Saiba mais!

Geração “QuarAntenados”

De uma hora para outra nos tornamos a geração “QuarAntenados”, termo que ouvi, outro dia, numa Live do Instagram e achei muito coerente. […] Hoje, mais do que isolamento, necessitamos de conexão social. Vamos nos recolher à nossa individualidade para nos conectar com a coletividade, enquanto sujeitos cognitivos, abertos, capazes de iniciativa, de imaginação e de reação rápidas. Conectados, vamos aprender juntos, porque a questão, hoje, não é mais ser contra ou a favor, mas, sim, reconhecer as mudanças que estão acontecendo e formando um ambiente inédito, talvez até uma nova era…

Ser feliz está na moda

No último dia 10 de março bati um papo com Marcelo Gato, que é um dos colaboradores deste blog. Falamos sobre essa tal felicidade, que vem sendo tão comentada, ultimamente, nas escolas, universidades (Gato comentou, inclusive, como surgiu a Disciplina da Felicidade em Havard) e nas organizações. Confira alguns mindsets da conversa e também o link para o vídeo editado da Live.

Metodologias ativas aplicadas no onboarding

O processo de integração de um novo colaborador na empresa (onboarding) constitui uma das principais tarefas de gestão de pessoas. Seu objetivo é deixar claro o caminho a ser percorrido pelo novo funcionário, bem como o que se espera dele enquanto profissional. Essa etapa requer atenção, porque pode impactar no seu desempenho a partir de então. Diante desse contexto, a utilização de metodologias ativas de aprendizagem torna-se uma alternativa viável e extremamente eficaz para atingir os objetivos da integração. Este post cita alguns exemplos…

World Café: aprendizagem baseada em troca de saberes e escuta ativa

World Café é um método de aprendizagem idealizado Juanita Brown e David Isaacs e que enfatiza a troca de saberes e a escuta ativa. Entre os seus benefícios está a diversidade de pensamentos, partindo do princípio de que ter opiniões diferentes não coloca as pessoas em campos opostos; a força do diálogo na materialização de ideias e propostas; o próprio conceito de inteligência coletiva, onde “todos sabem algo e todo saber pode ter uma utilidade econômica ou social”. Quer saber mais? Leia o post!

Você conhece os 4 C’s da Educação Básica?

Denominadas de 4 C’s, porque se referem à: critical thinking (pensamento crítico); collaboration (colaboração); communication (comunicação) e creativity (criatividade), elas foram apontadas pela National Education Association (NEA), como sendo as mais importantes para a Educação Básica. Clique no título do post e saiba mais!